Responsabilidade social do Clube em relação aos atletas.

Responsabilidade social

O Clube deve exercer a sua responsabilidade social sob várias formas. A prioritária parece ser procurando proporcionar a possibilidade de os atletas terem acesso a uma boa educação. Quem representa durante anos o CNL como atleta, arvorando as cores do Clube, tendo bom comportamento desportivo e sendo originário de uma família com poucos recursos, tem a possibilidade de obter apoio do Clube para a sua educação, podendo amanhã ser um cidadão que melhor contribua para o futuro do País.

Este apoio, para a elevação do nível de educação dos atletas, é também obrigatório se pensamos em alta competição e bons resultados a outros níveis.

O CNL tem actualmente 15 bolseiros. O aumento deste número fica dependente dos recursos disponíveis, que incluem apoios e patrocínios. Claro que gostaríamos que todos os atletas com dificuldades financeiras pudessem fazer parte deste programa.

(Retirado da edição nº 7 do boletim do Clube Naval de Luanda, da rubrica "Entrevista a Mário Fontes")

Welcome aboard

Inicio da actividade do Clube.

No Boletim Oficial nº 20, do então Governo Geral da Província de Angola, datado de Segunda-feira dia 28 de Maio de 1883, página 371, foram publicados os Estatutos do então apelidado "Clube Naval de Angola".

Autorizado de iniciar as suas actividades a partir do dia 23 de Maio de 1883 pelo então Secretariado Geral do Governo, Alberto Carlos d'Eça de Queiroz, o hoje Clube Naval de Luanda, aqui está firme e determinado em continuar a honrar um nome e uma tradição náutica mais do que centenária.

(Retirado do 1º boletim "O Naval", da rubrica "O presidente escreveu") - Consulte o nosso boletim. O Naval

Mais artigos...